Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/06/18 às 10h43 - Atualizado em 30/10/18 às 14h59

Unidade de Internação de São Sebastião recebe oficinas e espetáculos teatrais da Cia Burlesca

COMPARTILHAR

De maio a setembro de 2018, a Cia Burlesca está ocupando a Unidade de Internação de São Sebastião apresentando os espetáculos Bendita Dica, O Longe, Quixote ao Avesso e O Segredo, além de uma oficina de teatro e uma de produção de jornal para os adolescentes internos. Serão ao todo 16 apresentações de teatro e 96 horas de oficinas realizadas com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal.

 

Os espetáculos tratam de diferentes temáticas, mas todos permeados por questões sociais e com estética do teatro épico. Bendita Dica conta a história da líder comunitária conhecida como Santa Dica de Lagolândia-GO, tendo como matéria a reforma agrária. Em O Longe, baseado no conto O Safari Definitivo de Nadine Gordimer, o objeto de encenação é o universo dos refugiados. Quixote ao Avesso, livremente inspirado no livro Dom Quixote de Miguel de Cervantes, traz pra cena fatos sociopolíticos contemporâneos evidenciando a justiça, a liberdade e a loucura. Na peça O Segredo, adaptação do conto O Segredo do Bonzo de Machado de Assis, o mote principal é a manipulação da informação.

 

 

A oficina de teatro será ministrada pelos integrantes da Cia Burlesca, utilizando jogos e métodos do Teatro do Oprimido, idealizado pelo teatrólogo Augusto Boal e do Teatro Épico, de Bertolt Brecht. Assim como a oficina de produção de jornal, partindo da criação de conteúdos até as diversas formas de apresentação do produto final, associada às aulas normais dos internos. Ambas oficinas tem como objetivo comparitlhar conhecimentos sobre os meios de produção e terão como substrato as vontades dos adoslescentes, no qual suas vozes serão ouvidas e protagonizadas por eles mesmos.

 

Esta não é a primeira vez que o grupo desempenha atividades na Unidade de Internação de São Sebastião (UISS), tanto apresentando espetáculos de seu repertório como realizando trabalhos em parceria com a Orquestra PlenaHarmonia formada por adolescentes em cumprimento de medida sócioeducativa na UISS. Em 2013 a Cia Burlesca realizou mais de 25 apresentações do espetáculo “A Princesa Sisuda” com a orquestra em bibliotecas e escolas do DF. E em 2016 uma nova parceria entre o grupo e os músicos realizou 15 apresentações do espetáculo “PlenaHarmonia recebe Rabequinha” em hospitais, asilos, creches, escolas e parques.

 

“Está sendo um aprendizado, e todo dia uma surpresa”, revela a atriz Julie Wetzel. “Mas a grande surpresa de trabalhar teatro com adolescentes na Unidade de Internação é o pontencial, o universo, a bagagem de vida que esses adolescentes trazem, as experiências emocionais que esses meninos viveram em tão pouco tempo de vida, colaboram muito com o processo de encencação e dramatização. Eles tem claramente a questão da desigualdade, percebem que são vítimas do processo da desigualdade. Outra questão é perceber como eles sabem disso, eles não estão inertes e perdidos dentro do processo da sociedade, achando as coisas são naturais, eles entendem que o movimento como a sociedade funciona é o que colabora para a desilgualdade e principalmente corroboram para que eles estejam hoje lá”, completa o diretor do grupo, Mafá Nogueira. Inclusive um os adolescentes, durante a oficina de jornal disse “Não é porque a gente tá aqui que eu não tenho direito” e outro “Nós temos direitos iguais, nós somos iguais”.

 

A produção é da Cia Burlesca, os espetáculos tem a direção de Mafá Nogueira e Patrícia Barros, o elenco é formado por Julie Weztel, Lyvian Sena, Pedro Caroca e Pedro Henrick.

 

Foto: Matheus Alves