Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/10/19 às 17h25 - Atualizado em 25/10/19 às 17h25

Sejus realiza ações para promoção, proteção e defesa dos direitos de crianças e adolescentes em escolas da Ceilândia

COMPARTILHAR

 

Como parte das ações da 8ª edição do programa “Sejus Mais perto do Cidadão” nesta semana, de 21 a 25 de outubro, ações educativas foram realizadas em escolas da Ceilândia. Nesse período aconteceram sete palestras e/ou rodas de conversas, alcançando um público de 1265 crianças e adolescentes de escolas públicas da cidade administrativa. O objetivo da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) é conscientizar esse público sobre a promoção, proteção e defesa dos direitos de crianças e adolescentes, bem como a formação dos valores da cidadania.

 

Dentre os temas abordados nas escolas destacam-se: cidadania e ética; importância dos conselhos tutelares; promoção à saúde e ao pleno desenvolvimento na adolescência; prevenção à violência e abuso sexual e à gravidez na adolescência e infecções sexualmente transmissíveis.

 

As atividades deram-se através de parceria entre a subsecretaria de Políticas para Crianças e Adolescentes (SPCA) da Sejus e o Fundo de População das Nações Unidas – UNFPA, da ONU, que atuam conjuntamente para promover a saúde de adolescentes, disseminar boas práticas e fortalecer a integração com a comunidade. Também contou com apoio do UNICEUB e Contação de História – Pipo e Fifi sobre prevenção ao abuso sexual e da Associação Brasileira em prol da Ética (ABRA). Em todas as ações foi reforçada a importância do papel da escola para o crescimento individual e coletivo.

 

Numa das escolas, CEF 04, da Ceilândia, uma palestra direcionada para estudantes de 13 a 15 anos abordou o papel dos conselhos tutelares e a importância do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) na defesa dos direitos da criança e do adolescente. Esta escola é marcada por altos índices de faltas e evasão.

 

Deric Falcão, aluno do CEF 11 elogiou a iniciativa. “Gostei muito da atividade. É muito importante a conscientização, pois em caso de gravidez indesejada na adolescência, se a menina tem o bebê, é claro que o garoto tem que ajudar. Os meninos não podem abandonar as meninas com filho. Os meninos também são pais e têm o papel de arcar com a responsabilidade em tudo”, disse.

 

Sobre a importância da parceria com a SEJUS, Raíla Alves – palestrante do UNFPA, destacou: “Essa parceria com a Sejus e parceiros estratégicos, por meio de ações direcionadas às escolas e alunos é de fundamental importância para o UNFPA, pois existimos para garantir que nenhuma pessoa seja deixada para trás. Ações como essas promovem direitos ”.