Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/07/19 às 13h43 - Atualizado em 2/07/19 às 13h43

Conselhos tutelares passam a fazer atendimentos com intérprete de Libras

COMPARTILHAR

 

Para garantir qualidade ao atendimento prestado às pessoas surdas nos conselhos tutelares, a Secretaria de Justiça e Cidadania do Distrito Federal (Sejus-DF) começou a disponibilizar intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) para auxiliar na comunicação entre os conselheiros e a população com deficiência auditiva.

 

O primeiro atendimento com o novo serviço foi realizado nesta segunda-feira (1) no conselho tutelar de Ceilândia. “A ideia de trazer a interpretação de LIBRAS para os conselhos surgiu após a demanda de uma conselheira tutelar de Ceilândia, que precisava atender os pais de uma criança com deficiência auditiva. Com o apoio da intérprete foi possível o atendimento mais humanizado e acessível, gerando assim precisão na coleta das informações para os devidos encaminhamentos”, afirmou a Subsecretária de políticas para Crianças e Adolescentes, Adriana Faria.

 

Para requisitar a interpretação em LIBRAS será necessário o agendamento prévio. O serviço poderá ser solicitado para qualquer um dos 40 conselhos tutelares em funcionamento no DF.

 

Segundo o Subsecretário de Políticas de Direitos Humanos e de Igualdade Racial, Juvenal Araújo, a ação faz parte do compromisso do Sejus em garantir e promover os direitos das pessoas com deficiência. “O Distrito Federal possui mais de 500.000 mil pessoas com deficiência, sendo mais de cem mil surdas, a Sejus tem o compromisso em atender as necessidades desse público, com o fortalecimento da Central da Intérprete de LIBRAS, a fim de garantir a equiparação de oportunidades dos cidadãos”, explicou.

 

Essa iniciativa é resultado do trabalho integrado de duas subsecretarias da Sejus: Subsecretaria de políticas para Crianças e Adolescentes e a Subsecretaria de Políticas de Direitos Humanos e de Igualdade Racial.