Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/08/19 às 18h00 - Atualizado em 23/08/19 às 18h00

Conferência Distrital debate cidadania e protagonismo para crianças e adolescentes

COMPARTILHAR

 

Apresentações culturais marcaram a abertura da X Conferência Distrital dos Direitos da Criança e do Adolescente, nesta sexta-feira (23), na Universidade de Brasília (UnB). Com letras autorais, os adolescentes utilizaram a música para falar de questões de seu cotidiano, como cidadania, papel da escola e protagonismo. A conferência continua no sábado, das 8h às 17h, na UnB – Faculdade de Saúde – Brasília.

 

Realizado pelo Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente (CDCA), órgão vinculado à Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus-DF), o evento reuniu cerca de 400 pessoas interessadas na construção de uma sociedade melhor e de políticas públicas para crianças e adolescentes.

 

Representando o secretário da Sejus, Gustavo Rocha, o secretário-executivo, Maurício Carvalho, ressaltou que a conferência é um importante “momento de reflexão” sobre as ações desenvolvidas para atender essa parcela da população. “O que é preciso mudar para ter um futuro melhor? Essa é uma oportunidade de debater as construções de políticas públicas. É preciso cuidar do que é público para sabermos que caminho devemos seguir. Os debates proporcionam caminhos virtuosos de conquistas para crianças e adolescentes, de proteção integral, de diversidade e de enfrentando à violência”, explicou.

 

“Política pública é feita da melhor forma quando ouvimos quem a recebe. A conferência existe para dar voz, no espaço político, aos envolvidos na rede de proteção e encontrar formas de prevenir todo tipo de violência”, complementou a presidente do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente, Adriana Faria, que também é subsecretária de Políticas Públicas para Crianças e Adolescentes da Sejus.

 

Entre os participantes do evento também estão os integrantes do Comitê Consultivo de Adolescentes do CDCA, como Maria Aparecida, de 17 anos. Estudante do 2º ano do Ensino Médio, a adolescente veio contribuir com a construção de ações para evitar que crianças e adolescentes tenham seus direitos violados. “Abracei a oportunidade de participar pelo conhecimento e atuar na causa. É um ganho pessoal poder contribuir na construção de direitos para crianças e adolescentes assim como eu. No futuro vou fazer serviço social e psicologia para continuar nesse caminho”, afirmou.

 

Também participaram da mesa de abertura a Diretora de Desenvolvimento e Integração Regional do Decanato de Extensão da UnB, Iracilda Pimentel Carvalho, a promotora de Justiça do Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios (MPDFT), Luiza de Malirac, o vice-presidente do CDCA, Coracy Coelho, o secretário-adjunto da Secretaria da Juventude, Fabiano Carvalho, a chefe de assessoria da Secretaria de Educação, Janaína Almeida, e o adolescente do Comitê Consultivo, Daniel Rodrigues.