Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/09/19 às 17h59 - Atualizado em 30/09/19 às 18h11

Campanha Setembro Amarelo: ações de prevenção ao suicídio precisam continuar

COMPARTILHAR

 

 

Com a apresentação musical do pianista Toninho, da Casa do Piano, e uma palestra sobre suicídio, se encerrou nesta segunda-feira (30), a campanha “Setembro Amarelo – Vamos dar as Mãos?”, em cerimônia no Salão Nobre do Palácio do Buriti. Durante todo o mês a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus-DF) promoveu ações de prevenção ao suicídio de crianças e adolescentes.

 

A palestra foi ministrada pelo psicólogo Felipe de Baere, doutorando e mestre em psicologia no campo de suicidologia pela Universidade de Brasília. Ele chamou a atenção para o aspecto de que as pessoas estão menos capacitadas a lidar com as próprias emoções.

 

“As nossas comunicações estão sendo mediadas por dispositivos tecnológicos. Estamos usando menos a linguagem falada, as pessoas não conseguem falar sobre os próprios sentimentos. Essas ações de prevenção precisam ir além do mês de setembro e que o investimento não seja apenas no campo da saúde, é preciso pensar na prevenção no campo da educação também. Pensar nos conflitos de crianças e adolescentes, que podem ser ensinados desde a infância, voltado para a inteligência emocional”, explicou.

 

Para o Secretário da Sejus, Gustavo Rocha, a campanha cumpriu seu papel mas as ações de prevenção são importantes e devem continuar. “Estudos sugerem um alto nível de incidência de sintomas depressivos na população escolar, que variam desde 13% em crianças até 20% em adolescentes, números que demonstram que a depressão infanto-juvenil é decisivamente um problema de saúde mental significativo”.

 

A subsecretária de Políticas para Crianças e Adolescentes da Sejus, Adriana Faria, afirmou o quanto essa campanha é especial por ser direcionada para crianças e adolescentes. “Precisamos nos apropriar desse tema, nos sentir responsáveis, escutar, observar e criar a cultura do acolhimento. A reflexão sobre a importância da prevenção ao suicídio não é só para o setembro amarelo, mas de um ano todo e para uma vida toda”, disse.

 

Dentre os participantes do evento estava Thor, um husky siberiano albino com seu tutor Walter Isaac. O cão é treinado para a Terapia Assistida por Animais (TAA), uma técnica que tem como objetivo utilizar o animal de estimação no contato entre humanos para o desenvolvimento psíquico, físico, cognitivo e social, especialmente para crianças. Após o treinamento, os animais servem como apoio terapêutico em diversas atividades como escolas, hospitais, consultórios de psicologia, dentre outros.

 

O Centro de Valorização da Vida (CVV) também esteve representado no evento. O CVV realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias, pelo número 188.

 

Confira as fotos no FLICKR DA SEJUS