Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/05/19 às 17h57 - Atualizado em 20/05/19 às 17h59

18 de maio: Corrida marca Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual

COMPARTILHAR

 

A Secretaria de Justiça e Cidadania do DF (Sejus-DF), por meio da Subsecretaria de Políticas para Crianças e Adolescentes, participou no último sábado (18) da corrida realizada no Parque Ana Lídia (Parque da Cidade), em comemoração ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. O evento, que reuniu cerca de 800 pessoas, é uma iniciativa da Polícia Federal, com o apoio do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e do governo do Distrito Federal. O objetivo é alertar a sociedade sobre esse tipo de crime e envolver a família na prevenção e combate.

 

“Durante um bom tempo esse assunto era tabu. Hoje a gente faz o enfrentamento desse tema. Isso faz entrar na pauta e no debate. As crianças precisam ser conscientizadas sobre o abuso sexual”, explicou Adriana Faria, subsecretária de Políticas para Crianças e Adolescentes da Sejus, presente ao evento. Segundo ela, muitas crianças e adolescentes não distinguem o abuso sexual. Sabe que é errado, mas não sabe como denunciar.

 

A Sejus participou de várias atividades alusivas à data, como rodas de conversa e a tradicional caminhada no Gama que reuniu mais de 2 mil e 500 alunos de escolas públicas na última sexta-feira, dia 17.

 

Dia 18 de maio

 

No dia 18 de maio de 1973, uma menina de 8 anos foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada no Espirito Santo. Seu corpo apareceu seis dias depois carbonizado e os seus agressores, jovens de classe média alta, nunca foram punidos. A data ficou instituída como o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes” a partir da aprovação da Lei Federal nº. 9.970/2000.

 

Desde então, a sociedade civil em defesa dos direitos das crianças e adolescentes promove atividades em todo o país para conscientizar a sociedade e as autoridades sobre a gravidade da violência sexual.

 

Como denunciar – O Disque 100 trabalha com todos os tipos de violações de direitos humanos – violência contra pessoa idosa, privação de liberdade, atenção aos moradores de rua. Basta ligar 100 de qualquer telefone e conversar com um dos atendentes.

 

Esse canal funciona 24 horas por dia, sete dias por semana. A participação popular é fundamental para proteger os menores e fazer valer a legislação.

 

A Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República e a Comissão Inter setorial de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes também foram parceiras da iniciativa que contou com apoio da Sejus-DF.

 

Veja fotos do evento no nosso Flickr!